Aracaju, 26 de Março de 2017
Eleição antecipada na Câmara de Lagarto tem tumulto e 'macumba'


Ontem, 26, na sessão que marcou por definitivo o final dos trabalhos na Câmara Municipal de Lagarto em 2013, público e vereadores acompanharam um grande tumulto, envolvendo a eleição antecipada da mesa diretora para o biênio 2015/2016. Teve até vereador que encontrou um mandinga debaixo da mesa onde costuma ficar no plenário. O fato foi confirmado por pessoas que chegaram cedo à sessão.

Marcada na semana passada, a eleição, inicialmente, contava com duas chapas. Uma encabeçada pelo atual presidente da câmara, Fraga da Brasília (PSDB), e outra pelo vice-presidente, Gilberto da Farinha (PP), mas que agora disputava o pleito como oposição à atual mesa.

No entanto a votação não aconteceu como esperada. Antes mesmo de iniciar o processo de votação, Fraga anunciou a suspensão da eleição, convocando outra data e, junto com mais oito vereadores, se retirou do plenário. Porém, a maioria absoluta permaneceu e quem deu continuidade foi o então vice-presidente Gilberto.

Após longa demora para saber sobre a legitimidade da votação, mesmo sem estar presente o presidente da casa, a eleição prosseguiu com nove fotos a favor da chapa de Gilberto contra oito abstenções. Gilberto, como presidente, Kléber de João Maratá (PRTB), como vice, e Pedrinho da Telergipe (PR), Érico Menezes (PSDB) e Eraldo da Carmelita (PMDB), como primeiro, segundo e terceiro secretário, respectivamente, formam agora a nova mesa diretora da câmara a partir de 2015.

Antes do início da sessão, Eraldo disse ter encontrado ao lugar da sua cadeira um feitiço. "Quando eu cheguei tinha uma macumba aqui. Um pano preto com umas coisas. E minha cadeira não estava. Eu peguei e joguei na descarga do vaso sanitário. Meu Deus é forte", disse Eraldo. Duas mulheres que estavam no plenário da câmara confirmou o episódio.

Os vereadores que defenderam a candidatura de Gilberto, afirmaram que a convocação de "última hora" foi uma manobra do presidente da mesa para se reeleger, e que, quando ele percebeu, no momento da sessão, que estava em minoria, tentou outra manobra, a de cancelar a eleição.

A convocação da eleição está baseada no Projeto de Resolução 27/2013, aprovado no início deste mês em sessão também polêmica. De acordo com a alteração realizada no regimento, o prazo para a eleição da mesa diretora responsável pelo segundo biênio na câmara fica definido até, no máximo, junho do próximo ano, ou seja, podendo ser convocada a qualquer momento pelo presidente desde que não ultrapasse a última sessão do primeiro semestre de 2014.

Volta
A surpresa na manhã desta quinta foi a presença da vereadora Marta da Dengue (PP), que atualmente está de licença médica da câmara. Ela explicou o motivo da sua participação na sessão extraordinária, o que impediu que seu suplente, JC (PDMB), participasse.

"Como tem a eleição da mesa, para poder continuar como primeira secretária eu tinha que estar aqui hoje", informou, avisando que sua volta oficial se dará no dia 18 de fevereiro. A vereadora, mesmo ainda estando usufruindo da licença, assinou a folha de frequência, mas acompanhou o presidente Fraga quando este se retirou do plenário.

Discursos
A sessão extraordinária, de número 23, foi convocada por Fraga na última sexta-feira (20), e, além da eleição da mesa diretora da câmara para o biênio 2015/2016, constava na pauta mais duas proposituras (Pró-Lagarto e instituição do Fundo Social e de Defesa Municipal), estas enviadas pelo Poder Executivo, que foram votadas e aprovadas. Mas o que gerou indignação de alguns vereadores foi a antecipação do pleito.

"Em um ano ter duas eleições para presidente. Eu acho desnecessário", afirmou Carlos da Brasília (PT). Ele pontuou o clima de tensão na câmara justamente nas festas de fim de ano. Kléber comentou semelhantemente: "Fico triste com a convocação de uma eleição entre o Natal e o Ano Novo", disse, destacando que não houve bom senso na opção.

"Um ano está fazendo que nós assumimos. Foi um ano quase de decepção. Quando está todo mundo programando suas viagens, convocam uma eleição pela ganância do poder", comentou Eraldo. Ele citou ainda que os discursos, nesta época do ano, eram para ser de harmonia.

Votação
Os seguintes vereadores votaram no nome de Gilberto da Farinha para presidente: Carlos, Kléber, Fábio Frank (PCdoB), George de Zizi (PDT), Eraldo, Érico, Pedrinho, Washington da Mariquita (PTB) e o próprio Gilberto. Foram classificadas como abstenções as participações de Adson do Leite (PV), Cláudio, Enilton da Farmácia (PMDB), Fraga, Joselmo de Antônio Simões (PSC), Marta, Valmir de Carminho (PV) e Xexeu (PSD) - estes nove deixaram o plenário junto com Fraga da Brasília.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados