Aracaju, 17 de Dezembro de 2018
Presidente da Adema tinha obrigação de saber que a lei não permite "exercício gratuito" de atividades no Estado


O diretor-presidente da Adema, Gilvan Dias, bateu de frente com o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Sergipe ao nomear pessoas para o "exercício gratuito", segundo ele, para atividades no órgão.

Lei 2.148
De 21 de dezembro de 1977
Publicada no Diário Oficial No 1, do dia 01/01/1901
Art. 79 - É vedado o exercício gratuito de cargo público.

Na última quarta-feira, 5, "apertado" pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), o diretor-presidente da Adema foi ao palácio, reconheceu as nomeações e disse que exoneraria os nomeados.

A Adema é órgão da administração indireta.

Ontem, de manhã, quando o governador participava de uma solenidade, o diretor-presidente telefonou para informar que havia feito as exonerações.

Quem estava mais próximo do governador, ouviu sua indignação.

Embora assessores estejam tentando diminuir o tamanho da repercussão negativa das nomeações, seria mais sensato o reconhecimento público do erro por parte do governo, mesmo que o governador não tenha contribuído para que ocorresse.

Veja o documento

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados