Aracaju, 20 de Outubro de 2018
PSTU DE SERGIPE: “Bolsonaro, lugar de racista como você é na cadeia!”


A Procuradoria Geral da República (PGR) apresentou denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado Federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) por crimes que todo o país sabia que ele praticava abertamente: o racismo, assim preconceitos contra indígenas, mulheres, LGBTs e refugiados.

Mas, Bolsonaro não é um racista qualquer, ele é um racista que ocupa o cargo público de deputado federal no país mais negro fora do continente africano e ainda pretende concorrer à presidência da República. Ele sabe, ou pelo menos deveria saber, que existe um genocídio negro no Brasil e que esse genocídio é a materialização do racismo, ou seja, o racismo mata e um racista que tem aproximadamente 30% de aprovação popular é um assassino em potencial.

Para ser um genocida não basta apertar o gatilho. Bolsonaro ataca os negros, em geral, e os quilombolas, em particular, com o mesmo sentimento que Domingos Jorge Velho atacou Palmares, com ódio de classe e menosprezo étnico. Para ele negros, índios, quilombolas, mulheres e LGBTs não devem ter direitos a nada. Disse abertamente que quilombola “não faz nada” e que “eu acho que nem para procriar ele serve mais”. Além de racista, desconhece a história. Os descendentes de quilombolas representam uma página viva do que teve e tem de mais heróico e democrático na história deste país. E é isso que revolta Bolsonaro e que nele faz aflorar instintos racistas incubados.

Quilombo é sinônimo de resistência à escravidão, enquanto Bolsonaro defende o trabalho precarizado e semiescravo. Os quilombos representam a forma de organização social mais democrática da história do Brasil desde a invasão europeia, enquanto Bolsonaro representa o autoritarismo, o parasitaríssimo parlamentar e a submissão de nosso país aos Estados Unidos. Sequer podemos chamá-lo de senhor de escravos, pois na verdade seu maior desejo é ser capataz dos Estados Unidos ou capitão de mato de Trump. Até para se defender Bolsonaro utiliza argumentos racistas. Disse que a denúncia contra ele está a serviço de “denegrir” a sua imagem. A palavra “denegrir significa “torna-se negro”, algo que para um racista da envergadura de Bolsonaro é sinônimo de negatividade.

A decisão sobre o futuro desse político racista e LGBTfóbico está nas mãos do STF. Se Bolsonaro não for punido severa e exemplarmente é o STF que se desmoralizará. Por muito menos o jovem negro Rafael Braga foi condenado, por tão pouco, centenas de milhares de negros e pobres deste país estão encarcerados sem direitos a advogados e a julgamentos. Portanto, não é possível que por tantos ataques Bolsonaro vai ficar impune! Racismo é crime inafiançável. Portanto, Bolsonaro deve ser preso, perder o mandato e ficar inelegível para pagar pelos crimes que já vem cometendo há vários anos.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados