Aracaju, 17 de Junho de 2018
Dupla foi presa no bairro de Vila de Abrantes (Camaçari) na sexta-feira passada


Ás de Copas do Baralho do Crime da Secretaria de Segurança Pública (SSP/ BA) e líder de uma quadrilha responsável por mais de 50 homicídios em Camaçari, na região metropolitana, Cássio dos Santos Oliveira, 30 anos, o Cassinho, foi preso na sexta-feira passada, 26, por investigadores da 26ª Delegacia (Vila de Abrantes), na cidade de Estância, em Sergipe.

Ele vinha sendo procurado há cinco anos por envolvimento direto em, pelo menos, 20 assassinatos e por comandar o tráfico de drogas em Vila de Abrantes, Arembepe e Jauá, todos bairros da orla de Camaçari.

Segundo a delegada Maria Danielle Monteiro, titular da 26ª DT, Cassinho tinha dez mandados de prisão preventiva em aberto por homicídio e tráfico de drogas, além de já possuir uma condenação na Justiça.

“Tenho cinco anos em Abrantes, nunca o tinha prendido. Ele estava foragido, comandando o tráfico de drogas e ordenando mortes de Sergipe. Para manter o tráfico, o bando cometia homicídios”, contou a delegada.

Ainda de acordo com Maria Danielle Monteiro, em Sergipe, o suspeito vivia como empresário do ramo de confecções e mantinha uma loja de roupas em Estância. “Lá, ele morava em uma casa muito boa. Vivia uma vida de empresário”.

Integrante da facção Caveira, Cassinho está à frente do comércio de drogas em Vila de Abrantes e adjacências desde 2009. A delegada informou que Cassinho é o braço direito de Venício Bacellar Costa, o Fofão ou Doido. Três de Ouros do Baralho do Crime da SSP e um dos líderes da facção Bonde do Maluco (BDM), Fofão foi preso em outubro do ano passado, em São Paulo.

A polícia apurou que, à época da prisão, ele também residia em Sergipe, mas havia fugido para a capital paulista. “Ele é o principal sócio de Fofão”, afirmou ela. No sábado, 24, outro comparsa de Cassinho foi detido em flagrante por tráfico de drogas, em Vilas de Abrantes. Rogério da Silva Cardoso, o Sassá, foi preso com 28 pinos de cocaína.

O delegado Odair Carneiro, responsável pela Força-tarefa da SSP que apura mortes de policiais, também investigava Cassinho por envolvimento na morte do cabo da Polícia Militar Eduardo Olímpio Santos Filho, 43, em janeiro de 2015, em Monte Gordo, Camaçari.

Cassinho também estava com mandado de prisão preventiva em aberto pela morte do cabo. Segundo o delegado, atualmente, ele é o suspeito com mais mandados de prisão em aberto no Estado. Quando foi preso, na sexta, em Sergipe, ele estava com um revólver calibre 38, com registro da Polícia Civil de São Paulo.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados