Aracaju, 10 de Dezembro de 2018
Mosaic confirma à prefeita de Capela investimento na exploração da Carnalita


No dia 22 de abril de 2012, com a presença da então presidente da República, Dilma Rousseff, foi anunciado para Sergipe aquele que seria o maior investimento privado em toda a história do Estado e um dos maiores do país naquele momento. Dilma, ministros, governador Marcelo Déda, autoridades e prefeitos sergipanos participaram da solenidade de assinatura da renovação do contrato de arrendamento entre a Petrobras e a Vale que possibilitaria o início da execução do Projeto Carnalita. 

O projeto consistia na extração da carnalita para produção de potássio, indispensável na composição de fertilizantes. Com a assinatura do contrato entre a Vale (produtora) e a Petrobras (dona da jazida que será arrendada para a exploração da carnalita), os investimentos poderiam chegar a US$ 4 bilhões. No entanto, com a crise financeira e as mudanças na Vale, o Projeto Carnalita foi suspenso, sem nenhuma informação quando ou se voltaria. 

A boa notícia é que a Mosaic, empresa que comprou a Vale, fez questão de visitar a prefeita de Capela, Silvany Sukita, para informar que uma das suas prioridades para o Brasil é retomar o projeto Carnalita. A reunião contou com as presenças de Paulo Eduardo Batista, diretor de Performance Social, e Luiz Maurício Pereira, relações institucionais locais da Mosaic. A prefeita estava acompanhada do secretário de Governo, Manuel Sukita.

Com cerca de 15 mil funcionários atuando nas mais importantes áreas agrícolas, a Mosaic vende seus produtos para mais de 40 países e possui uma extensa rede de distribuição, instalando-se agora também em Sergipe. “Essa foi uma das melhores notícias que poderíamos receber no início de 2018. Com certeza será um marco divisor em nosso município, com investimentos que irão transformar nossa economia para melhor”, comemorou a prefeita Silvany Sukita. 

A visita a Capela não foi por acaso. Os diretores fizeram questão de se reunir com a prefeita, porque o município detém 80% da reserva de carnalita, que é a única no país. Atualmente o Brasil importa 70% dos fertilizantes que consome e 90% do potássio. Mesmo com a oferta de potássio tendo crescido nos últimos anos, ele ainda não consegue acompanhar o ritmo de crescimento do consumo. O projeto Carnalita deve duplicar a quantidade de potássio produzida no país, passando a 1,2 milhão de toneladas ao ano.

Silvany Sukita deixou claro que a prefeitura atuará no sentido de garantir todas as condições legais e necessárias para a exploração da carnalita no município. A prefeita frisou a necessidade do aproveitamento da mão-de-obra capelense nos empregos que serão criados, gerando renda para a cidade. “Já estamos fazendo um trabalho de incentivo à criação de novos postos de trabalho, tanto que Capela foi o município que mais empregou com carteira assinada em novembro de 2017 em todo o Estado. Agora, vamos em busca de que a maioria dos empregos gerados por esse investimento fiquem em Capela”, avisou a prefeita.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados